Alexandre

Avalie este item
(0 votos)

Informações adicionais

  • Depoimento: Foi um chamado pessoal, só depois fui enxergando o sistema e sua finalidade fiquei resistindo por um tempo achando que estava sofrendo alguma crise emocional mas ao fazer uma demorada analise de consciência pude entender que tudo que estava acontecendo (dominação dos irmãos, comercio, pressão aos não dizimistas, teologia da prosperidade etc...) não poderia vir de mim mesmo. Eu estava em situação muito boa, acabara de terminar meu curso teológico, estava bem com meus 'superiores', meu projeto era terminar minha carreira como 'pastor no sistema' assalariado quem sabe. Então fui arrebatado de todo esse lixo denominacional que faz muito bem a alma mas coloca o nosso espírito em prisão legalista. Posso dizer que fui um religioso exemplar, ao ponto de colocar a instituição em primeiro lugar por se tratar da obra de 'Deus' pensava eu. Como exemplo dessa dedicação religiosa mais de uma vez coloquei minha vida e de minha família em risco pela convicção que existia em mim. Quero conta uma dessas aventuras: - Era final de um campeonato do qual o flamengo estava na disputa e foi o campeão, momentos antes eu acabara de chegar no templo e informado por um irmão que estava na escala de serviço fique em estado de desespero religioso, peguei o primeiro irmão que vi, ele tinha uma moto foi a melhor opção para aquele momento, quando falei com ele do que se tratava prontamente me atendeu pois era sabedor como eu do significado de faltar em uma escala, corremos como loucos, peguei minha farda, era assim que chamava meu terninho de 100 r$ rsrsrs... na volta que corremos o maior risco, a rua estava tomada de torcedores enlouquecidos pela vitória do Flamengo, eu e o irmãos tivemos que passar tirando fino do povo agora já pensou se um torcedor fosse atropelado? Mas a loucura da religião era maior que a loucura do torcedor. Quando cheguei minha esposa e meu filho estavam preocupados, eu sai muito apressado e não deu pra falar direito com eles, obedecer a escala tinha prioridade em minha vida. Já no banheiro me dei conta que tinha esquecido a camisa pra vestir com o terno, usando a autoridade constituída tomei a camisa de um irmão que entrou naquela hora ele não entendeu nada, só depois quando me viu servindo na escala que fez sentido para ele. Isso e só um pouco do que o sistema fez com minha cabeça irmãos. Mas graças a Deus onde abundou a ignorância superabundou a graça de Deus. Sem querer me comparar lembro da história do irmão Paulo, antes, era Saulo e um religioso de primeira matava e morria pelo Judaísmo precisou ficar cego pra poder enxergar e se tornou um exemplo para os fieis. Minha luta agora de fato não é mais contra a carne nem o sangue. Deus ilumine toda treva que existi em nós.
  • Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Local: Rio de Janeiro
Mais nesta categoria: « Patricia Gomes Liliane »